Polícia pede prisão de envolvidos na morte de nicaraguense

Polícia pede prisão de envolvidos na morte de nicaraguense

Irmãos são considerados foragidos e buscas para localizar a dupla prosseguem.

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apura a morte do cidadão da Nicarágua, Oscar Antonio Diaz, ocorrido na noite de sábado (15) em Cravinhos, região metropolitana de Ribeirão Preto. O delegado Jorge Miguel Koury Neto formalizou o indiciamento dos irmãos Josué Ferreira da Silva e Jason Fernando Ferreira da Silva.

De acordo com o apurado, Josué, de 28 anos, foi o autor dos disparos e Jason teria sido indiciado como partícipe, por ter conseguido a arma e coagido uma testemunha. A investigação concluiu que Josué, ex-namorado de Martha Johanna Muñoz Hernandez teria matado o atual namorado da mulher, que também é nascida na Nicarágua, por ciúme.

“Iniciamos a investigação trabalhando com Inteligência Policial. Traçamos uma cronologia da linha do tempo do crime e, com a elaboração de croqui esquemático e avaliação de imagens, conseguimos elucidar não somente o homicídio, configurado em duplamente qualificado, como também a participação de outro homem não como cúmplice, mas como partícipe, que é quem participa indiretamente, não dando fuga, por exemplo, que seria o papel do cúmplice, mas dando condições para que o crime fosse praticado. Descobrimos que foi esse partícipe quem conseguiu a arma”, explicou o delegado.

Segundo Koury Neto, a mulher, natural da Nicarágua, cursava faculdade em Dourados (MS). Ela teria se relacionado amorosamente com Josué, que tem família em Cravinhos, mas que cursava a mesma faculdade. Eles, inclusive, chegaram a morar juntos.

O delegado explicou que o casal teria rompido há cerca de um mês e meio e que o homem de Cravinhos seria ciumento. A mulher começou, então, a namorar Diaz, que também é da Nicarágua e cursava a mesma faculdade. Mas ela continuou mantendo contato com a família do ex em Cravinhos e foi convidada a visitar uma tia dele, hospedando-se em sua casa.

No sábado, o casal seguiu com a tia até a Igreja, para participar da missa. O ex-namorado, ao ver fotos do novo casal em redes sociais, saiu do Mato Grosso do Sul e veio para Cravinhos. Lá chegando, conseguiu ajuda de seu irmão Jason.

“Soubemos através de uma testemunha, que este outro homem foi até a casa dela sabendo que tinha um revólver calibre 32 e disse que passaria para o irmão revender no Mato Grosso do Sul. A testemunha acreditou que isso seria feito e entregou a arma, utilizada no crime”, acrescentou Koury Neto.

Com a arma em mãos, Josué foi até a Igreja onde estava o casal e, assim que saíram da missa, efetuou os disparos. Diaz foi atingido por sete tiros e morreu no local. O autor dos disparos fugiu numa motocicleta. Pouco depois voltou para ter certeza de que a vítima estava morta e fugiu novamente.

“Através da inteligência policial, conseguimos não só identificar o partícipe, como também colocá-lo na cena do crime. Ouvimos várias testemunhas e o crime está totalmente esclarecido. Um foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, com utilização de arma de fogo e impossibilidade de defesa da vítima. O outro como partícipe neste crime. Foi um intenso trabalho de inteligência policial, com provas irrefutáveis”, observa o delegado.

Como os irmãos ainda não se apresentaram, são considerados foragidos. Não foi informado se os indiciados já constituíram defesa. A arma do crime não foi localizada. As buscas aos suspeitos prosseguem.

O crime

Oscar Diaz foi morto com sete tiros no sábado, quando saia da missa na Igreja Santa Luzia, na Avenida Pedro Duarte Amoroso, bairro João Berbel, em Cravinhos. Ele estava acompanhado da namorada, Marta Johanna Muñoz Hernandez, também natural da Nicarágua e da tia do suspeito de efetuar os disparos, Josué Ferreira da Silva, ex-namorado de Marta. A Embaixada da Nicarágua no Brasil entrou em contato com o delegado para tratar da remoção do corpo de Oscar Diaz.

Reportagem: Adalberto Luque
Fonte: tribunaribeirao.com.br

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Pular para o conteúdo