SOBRINHA CIDA

SOBRINHA CIDA

POESIA ACRÓSTICO Por: Waldemar Medeiros

Minha sobrinha, o que sou

Isto o que você exclama

Na minha benção te dou

Honra de um tio que te ama

A minha primeira sobrinha.

Que de minha experiência

Uma dádiva rainha

Entre a nossa descendência

Recordando o passado

Imagine fico triste

De ficar abandonado

As coisas que não mais existe.

Se lá morei 25 anos

O tempo passou depressa

Bate o coração chorando

Recordar umas coisas dessas

Igrejinha em seu bom lugar

Nossa Senhora do Carmo

Hoje ainda podemos encontrar

A bíblia mostrando num dos salmos.

Waldemar Medeiros

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.