Seleção de profissionais para avaliar projeto de desenvolvimento sustentável de povos e comunidades tradicionais tem inscrições prorrogadas

Seleção de profissionais para avaliar projeto de desenvolvimento sustentável de povos e comunidades tradicionais tem inscrições prorrogadas

Interessados podem enviar currículos até o dia 30 de novembro
A contratação será na modalidade pessoa física e o contrato terá duração de 90 dias (Foto: Banco de Imagens)

Para realizar a avaliação final do projeto de apoio ao desenvolvimento sustentável dos povos e de comunidades negras tradicionais, uma consultoria técnica será contratada, na modalidade pessoa física, pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). As inscrições para a seleção foram prorrogadas até as 18h (horário de Brasília) do dia 30 de novembro de 2022.

O processo seletivo disponibiliza uma vaga e o valor do contrato é de R$ 22.440,00, com duração de 90 dias após a assinatura. Os interessados em participar do certame deverão enviar o currículo para etnicoraciais@mdh.gov.br até a data limite para inscrição.

O currículo deverá ser preenchido e encaminhado em formato PDF e em língua portuguesa. No campo assunto do e-mail deve constar o nome “Projeto BRA/13/020 – Edital nº 01/2022” para identificação da vaga. Vale lembrar que os arquivos corrompidos ou com defeitos que impeçam a visualização do conteúdo não serão considerados.

Acesse o termo de referência

Para participar, o profissional deve ser graduado em ciências sociais; ciência política; gestão pública ou gestão de política pública ou administração, em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), além de ter concluído pós-graduação em gestão pública, gestão de política pública, ciência política ou gestão de projetos, também em instituição reconhecida pelo MEC.

É necessário, ainda, comprovar experiência profissional de pelo menos três anos na gestão ou na avaliação de projetos e ter experiência mínima de dois anos de atuação com a pauta étnico-racial ou atuação com povos e comunidades tradicionais previstos no Decreto nº 8.750/2016.

“Estamos trabalhando de maneira séria e avançando na construção de políticas públicas voltadas aos Povos e às Comunidades Tradicionais. Com esse processo, buscamos um profissional qualificado que venha somar conosco nesse trabalho de extrema importância”, salientou o titular da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR/MMFDH), Paulo Roberto.

Para dúvidas e mais informações:
gab.snpir@mdh.gov.br

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Em busca do sono perdido

Mais de onze milhões de brasileiros recorrem a medicamentos para dormir; uso prolongado pode trazer mais riscos que benefícios

Pular para o conteúdo