Preso em Cravinhos, caminhoneiro que estuprava filha menor há anos

Preso em Cravinhos, caminhoneiro que estuprava filha menor há anos

Ação rápida da Polícia Civil evitou que homem fugisse

Policiais civis da Delegacia de Polícia de Cravinhos agiram com extrema rapidez e prenderam no sábado (19/03), um homem acusado de estuprar sua filha biológica dos cinco aos 17 anos. Segundo o delegado titular, Jorge Miguel koury Neto, a jovem criou coragem e contou sobre os abusos ao Conselho Tutelar e uma conselheira esteve na delegacia pra fazer a denúncia contra o pai.

“Ela vivia sob constante ameaça. Era mantida em cárcere privado quando pai, caminhoneiro de 55 anos, estava na cidade. Havia a pressão psicológica, as graves ameaças até que ela criou coragem e veio até nós. Agimos com extrema rapidez, pois ele sairia de viagem no sábado [19] logo cedo e poderia fugir, inclusive cruzando fronteira do Estado e dificultando sua prisão”, explicou o delegado.

Assim que a denúncia foi feita, os policiais civis representaram pelo mandado de prisão temporária por 30 dias. Tão logo a Justiça expediu o mandado, os policiais iniciaram as buscas. No sábado, por volta de 06h50, ele foi localizado e preso.

De acordo com Jorge Miguel, o pai, inclusive, mandava mensagens por aplicativos. Desta forma, além da prisão, o celular da vítima e do suposto estuprador foram apreendidos para perícia, com o objetivo de localizar tais mensagens que possam corroborar com as provas de acusação.

Em depoimento, a conselheira tutelar contou que o pai da jovem a ameaçava de morte, caso denunciasse o que vinha ocorrendo. “Ele poderá responde por estupro de vulnerável, estupro, cárcere privado, constrangimento ilegal em continuidade delitiva. Tudo era feito por meio de ameaças psicológicas. Nesse tempo todo o pai praticava com a filha conjunção carnal e atos libidinosos”, garante o delegado.

Depois de preso, o homem foi conduzido à CPJ (Central de Polícia Judiciária) em Ribeirão Preto, sendo encaminhado após a finalização da captura para uma unidade prisional. As investigações prosseguem em sigilo para, segundo Jorge Miguel, evitar expor ainda mais a jovem. A mãe da vítima também será ouvida para saber se ela tinha conhecimento do que o marido fazia com sua própria filha. O casal tem outra filha pequena, mas, a princípio, o pai só violentava a mais velha. “Vamos apurar tudo”, concluiu o delegado.

Dr Jorge Miguel Koury Neto, delegado titular de Cravinhos – Arquivo Pessoal

Por Adalberto Luque/Tribuna Ribeirão

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.