Volta pra Roça

Volta pra Roça

Meditando num pensamento

Uma falsa realidade

De um passado no momento

Eu mudava pra cidade.

Isto até me comoveu

Do meu modo de pensar

A verdade era que eu

Regressava lá morar.

O que mais me dói na mente

Como fosse absoluto

Ali eu plantava a semente

Para colher o bom fruto.

Roça foi onde eu vivi

Às vezes fico a imaginar

Como na roça nasci

Imaginei de lá voltar.

Da lavoura, todos os dias

Até a boa safra contudo

Daquilo que se colhia

Estamos comprando tudo.

MORAL DO ASSUNTO: Do mesmo C de Café, agora se escreve Cana – hoje.

POESIA ACRÓSTICO

Por: Waldemar Medeiros

Pular para o conteúdo