MUNDO PEDIDO

Chicoteado e preso

Trilhas de escravidão

Liberdade que era punição.

Correntes e senzala

Pelourinho alma escrava

Almejo à alforria 

Mais nada.

Asas machucadas

Ventre livre acalentador

Cicatrizes nas veias

Solto imaginário cor.

Unânime liberdade

Restaura o acorrentado

O coitado que era com a mordaça.

Pequeno escravo que era sem Quimera

Amaldiçoado.

Por: Valéria Rizzo Stella

Pular para o conteúdo