“Pediatra pode identificar casos de câncer infantil”, alerta médica especialista

“Pediatra pode identificar casos de câncer infantil”, alerta médica especialista

O dia 27 de julho foi escolhido como Dia do Pediatra e serve para orientar a sociedade sobre a importância dos cuidados com a saúde infanto-juvenil

O dia 27 de julho foi escolhido para comemorar o Dia do Pediatra em alusão à fundação da Sociedade Brasileira de Pediatria. A celebração é uma forma de homenagear àqueles que dedicam esforços para cuidar das crianças e adolescentes de maneira integrada e humana. No dia a dia, atuam, por exemplo, de forma preventiva, principalmente nas consultas de rotina. Inclusive, o pediatra pode identificar casos de câncer infantil quando a criança realiza consultas de acompanhamento. Quando diagnosticado precocemente, o direcionamento aos cuidados necessários é mais efetivo para o melhor tratamento. 

Exatamente por isso, a Sociedade Brasileira de Pediatria ressalta que é imprescindível que as consultas regulares sejam realizadas para a adequada prevenção e/ou identificação de doenças ainda em estágios iniciais. Dessa forma, é possível empreender uma rotina de tratamento eficiente e eficaz. Para a professora e médica pediatra do IDOMED (Instituto de Educação Médica), Caroline Paranhos, a pediatria é uma especialidade médica que cuida do bem mais precioso que um pai, mãe ou responsáveis têm, que são os seus filhos. Ela pontua, ainda, que é necessário procurar o pediatra quando for observada mudança das características ou comportamentos das crianças e adolescentes. 

A especialista compartilha dicas importantes que funcionam como sinal de alerta: se a criança começa a ficar mais retraída, mais quieta ou deixa de fazer coisas que gostava, pode indicar que sente alguma dor ou passa por dificuldades no ambiente escolar. Mas a atenção também deve estar nas modificações dos padrões fisiológicos. “Se a criança apresenta uma mudança no hábito urinário ou evacuatório, como diarreia, constipação ou despertar noturno, são alguns pontos que devem ser levados em consideração e que podem indicar alguma doença grave. Portanto, nesses casos, os responsáveis devem procurar um profissional”, orienta. 

A médica Caroline complementa que a atenção do pediatra é global durante o atendimento aos pacientes. Isso porque é fundamental adotar práticas médicas que observem diferentes aspectos, como falta de nutrientes ou algum atraso do desenvolvimento que pode ser a causa de doença neurológica (e, assim evitá-la). “O profissional também avalia peso, a estatura e o desenvolvimento da criança. O médico pediatra pode identificar, inclusive, casos de câncer infantil”, alerta. 

 Atendimento de crianças precisa ser direcionado 

Caroline Paranhos traz um aspecto importante quanto às diferenças de atender crianças e adultos nos consultórios. “A criança não é um adulto pequeno. A forma de abordagem é bem diferente, pois a criança, muitas vezes, a depender da idade, não sabe comunicar o que ela realmente está sentindo. Por isso, precisa de um olhar diferenciado do pediatra para ficar atento a tudo. O atendimento da criança tende a ser mais demorado, e o profissional deve estar mais atento desde o momento que ela entra na sala, aos sinais e sintomas que podem passar despercebidos”, alerta. 

Portanto, este é um trabalho que merece atenção contínua. Para Caroline, exige uma percepção aflorada e torna-se, diariamente, gratificante porque, segundo a médica, “é muito bom trabalhar nessa área. As crianças deixam o dia mais leve e feliz. A forma como encaram até mesmo uma doença é muito diferenciada do adulto e a capacidade que eles têm de superar as dificuldades é incrível”, finaliza a médica pediatra. 

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Em busca do sono perdido

Mais de onze milhões de brasileiros recorrem a medicamentos para dormir; uso prolongado pode trazer mais riscos que benefícios

Pular para o conteúdo