Obesidade: confira dicas para melhorar a alimentação e reduzir os riscos relacionados ao sobrepeso

Obesidade: confira dicas para melhorar a alimentação e reduzir os riscos relacionados ao sobrepeso

Nutricionista explica como aderir a uma rotina saudável

Uma doença crônica compreendida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o aumento anormal do peso e o acúmulo excessivo de gordura no corpo: assim pode ser definida a obesidade, caracterizada pelo Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 30. Segundo o Atlas Mundial da Obesidade 2023, somente entre os brasileiros, 22,4% da população adulta convive com a condição. Em 2035, o percentual deverá saltar para 41%.

A nutricionista da Hapvida NotreDame Intermédica, Marcela Santos, explica os malefícios associados a esse cenário. “O excesso de gordura pode desencadear ou agravar muitas enfermidades, como diabetes tipo II, hipertensão, problemas hepáticos, complicações cardiovasculares, apneia do sono, osteoartrites, além de vários tipos de câncer”, alerta.

No Brasil, o percentual de pessoas com obesidade cresceu 72% nos últimos 13 anos. De acordo com a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso), 75% dos óbitos acontecem por patologias associadas.

Dentre os principais fatores de risco, destacam-se aspectos genéticos, desequilíbrios hormonais, uso de medicamentos, questões psicológicas, estilo de vida, e, principalmente, alimentação inadequada. 

“O melhor caminho para mudar esse cenário é justamente mudar o sobrepeso por meio de um estilo de vida saudável, com uma alimentação balanceada e a prática regular de atividades físicas”, aconselha.

Para a finalidade, Marcela Santos, respaldada pela especialização em emagrecimento, sugere seis dicas consideradas essenciais. Confira:

1 – Evite industrializados e ultraprocessados, refeições congeladas, fast-foods, alimentos ricos em farinha branca, produtos açucarados, embutidos, refrigerantes, sucos artificiais e bebidas alcoólicas.

2 – Consuma comida de verdade, alimentos naturais, frutas, verduras, legumes, raízes e cereais integrais.

3 – Inclua proteínas magras em todas as suas refeições, ovo, peixe, frango, iogurtes naturais.

4 – Não pule refeições ou faça jejuns prolongados: evite compensar uma refeição em outra. 

5 – Beba água. Parece bobo e clichê, mas o consumo de líquido é indispensável para o bom funcionamento do organismo e o emagrecimento.

6 – Planeje suas refeições, não saia de casa com fome, procure organizar o que vai consumir durante o dia. Fora de casa, as chances de errar ou de exagerar são bem maiores.

O tratamento da obesidade deve ser individualizado. Para alcançar eficácia, demanda acompanhamento multidisciplinar, incluindo a atuação de nutricionista, psicólogo, médico e profissional da educação física.

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Pular para o conteúdo