GLADIADOR

POESIA Por: Valéria Rizzo Stella

Nos arcos do Coliseu solitário morcegos sobrevoam esse espaço

No chão da arena armaduras elmos e gládios jogados

Cela pesadelo e dor

Vida do gladiador

Ruínas templos masmorra arena de pedras nas entranhas do lutador

Bocas abertas leões sedentos

Pavor

O dilema

Jorrar sangue na arena

Ecos de dor e supremacia

Plateia anônima

Masoquista

Tridentes enfiados nas bocas de leões famintos

Fôlego narcisista instinto

Imperadores não compadecidos

Riem da dor nos circos

Arena idolatria e diversão

Dráculas assassinos

Interrogação

Gladiadores cospem a saliva da dor no fôlego fatídico

Levantando-se nas arenas

Invictos

Medalhas e troféus ganhados

Mais um dia de vitória

Desgraçados.

POESIA 

Por: Valéria Rizzo Stella

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.