Força feminina no agronegócio é tema de encontro do LIDE Ribeirão Preto na Fenasucro & Agrocana

Força feminina no agronegócio é tema de encontro do LIDE Ribeirão Preto na Fenasucro & Agrocana

Liderança das mulheres no agro pautou o evento, que ainda discutiu a reforma tributária brasileira
(Atualizado em 23/08/2023 - 16:31)
Força feminina no agronegócio foi tema de encontro do LIDE Ribeirão Preto na Fenasucro & Agrocana – Crédito: Rafael Cautella

As mulheres têm assumido posições estratégicas no agronegócio e no setor de bioenergia não é diferente. Por isso, o LIDE Ribeirão Preto promoveu na 29ª edição da Fenasucro & Agrocana, a maior feira do mundo voltada exclusivamente ao setor bioenergético, um evento para discutir a força feminina no agro.

Com o tema “Reforma, Governança e Mulheres no Agro: Lideranças em Transformação”, o encontro foi apresentado por Marcelo Salomão, vice-presidente do LIDE Ribeirão Preto e sócio presidente do Brasil Salomão e Matthes Advocacia. Já a mesa foi moderada pela empresária Claudia Tonielo, diretora de RH do Grupo Viralcool, e contou com a presença da CEO do Grupo Junqueira Rodas, Sarita Junqueira Rodas; do deputado federal Baleia Rossi, autor da PEC 45 da reforma tributária; do senador Marcos Pontes, do empresário Maurílio Biagi Filho, CEO da Maubisa e chairman do LIDE Ribeirão Preto, do diretor da Fenasucro & Agrocana, Paulo Montabone e do prefeito de Sertãozinho, Wilson Fernandes Pires Filho.

De acordo com Sarita, há 15 anos sua família passou por um processo sucessório e aos 25 anos ela assumiu os negócios. Na ocasião, não existiam mulheres líderes no agronegócio e nem congressos que discutissem o protagonismo feminino.

“A pergunta que mais respondi dos meus 25 anos até os 35 era porque que eu administrava os negócios da família e não meu irmão. E aprendi muito rápido, com a força da minha mãe, a arrumar uma resposta que não é mentirosa, mas também não tão verdadeira. Eu dizia que era porque na minha família existe meritocracia e a mais preparada pra tocar os negócios era eu. Mas eu nunca contei pra ninguém que eu não tinha irmãos”, recorda.

Para a CEO do Grupo Junqueira Rodas, o mais relevante não era o fato de não ser um homem à frente dos negócios da família, mas sim que ela mantinha as empresas gerando empregos, divisas e progressos ao país.
 

“A gente sabe que existe resistência da participação da mulher e eu ainda escuto quem são as pessoas que me ajudam a administrar os negócios da minha família. Estamos em 2023 e já tenho 40 anos. Tenho resultados provados dentro do negócio da minha família, participo de quatro conselhos de empresas fora da minha e ainda sou questionada. Entretanto, nunca vi um sucessor homem incompetente que levou o negócio da família à falência ser questionado do porquê foi ele”, afirmou.

Claudia Tonielo concordou com as falas de Sarita e disse que passou por situações semelhantes. “A força da mulher é um exemplo para todos. A gente não quer ser melhor do que ninguém. Também já senti na pele essa diferença, mas não me intimida. Na verdade, isso me incentiva, vira um desafio para mim. E eu defendo que a mulher precisa ser assim. Porque quando a mulher não se posiciona, ela é posicionada”, completou.

Já Marcelo Salomão contou que já percebeu essa diferenciação entre homens e mulheres no meio jurídico. “Às vezes, vou para reuniões com alguma sócia e é ela quem entende o assunto que será abordado, eu acompanho mais no papel institucional. Mas acontece de o cliente fazer perguntas para mim e eu aviso que é ela quem entende. Tem um movimento que não é favor, afinal, quem vai dar a melhor resposta jurídica é a minha sócia”, detalhou.

Reforma tributária

O encontro também abordou a PEC 45, que trata da reforma tributária brasileira e já passou pela Câmara dos Deputados. Agora, segue para votação no Senado. O autor da proposta, deputado federal Baleia Rossi, defendeu que sua aprovação vai destravar a economia do país.

“Tenho a convicção de que este projeto vai fazer nosso país ter um crescimento econômico. Estudos demonstram que a gente tem a capacidade de fazer com que a nossa economia cresça pelo menos 20% nos próximos 15 anos. Isso pode significar a criação de cerca de 12 milhões de novos empregos. Então, acredito que o Brasil está no caminho certo nessa agenda econômica”, afirmou o parlamentar. Durante o encontro, o senador Marcos Pontes também falou da reforma tributária. Além disso, por se tratar de uma feira sobre bioenergia, ele se mostrou favorável à transição energética e elogiou a liderança brasileira no setor. “O Brasil tem condição de ser o protagonista dessa renovação no planeta”, finalizou.

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Pular para o conteúdo