Fenasucro & Agrocana converge presente e futuro da bioenergia

Fenasucro & Agrocana converge presente e futuro da bioenergia

No terceiro dia de feira, o potencial do biogás e a nova tecnologia para transformação do etanol hidratado em diesel verde foram destaques nos eventos de conteúdo

A Fenasucro & Agrocana – maior feira do mundo voltada exclusivamente ao setor de bioenergia – apresenta as tecnologias do Brasil para o mundo, expondo o presente e apontando o futuro do setor. 

No terceiro dia da 28ª edição da feira, o Diesel Verde foi lançado como grande promessa e oportunidade ao etanol. Trata-se de uma nova tecnologia, que transforma o etanol hidratado em um substituto ao diesel, sem a modificação nos motores. O tema foi abordado durante o Visão Agro Talk: O Futuro da Energia Verde, que apresentou as tendências e destaques para o setor na geração da energia limpa e renovável. 

De acordo com Marcos Daniel de Lima, engenheiro de Automação, Diretor de P&D e Inovação Tecnológica da DUO Automation, o Diesel Verde é o futuro do setor de bioenergia para veículos pesados. “O etanol, hoje, atende bem veículos leves. Só que está sofrendo uma concorrência dos elétricos, do hidrogênio verde, dos híbridos, além da pressão do preço do petróleo. O que afeta diretamente o produtor e o consumidor”, explica. 

Diante desse cenário, Lima sinaliza o momento como oportuno para a substituição do diesel convencional, que tem origem fóssil, por um derivado do etanol e com as mesmas características técnicas de combustão de motores. 

Isso porque, segundo ele, a grande vantagem do Diesel Verde é a redução de poluição de particulados. “A poluição gerada pelo transporte pesado (ônibus e caminhões) nos grandes centros é grande e o Diesel Verde vem para mitigar esse problema, pois zera a emissão de particulados e, como consequência, a poluição”, exemplifica. 

Já no campo, a tecnologia pode ser implantada em qualquer usina e pode representar lucro, visto que hoje, de acordo com Lima, elas consomem 10% de seu faturamento bruto com diesel fóssil para frotas e máquinas. “Já são 10 anos de pesquisas desta solução produzida com tecnologia nacional tanto para as usinas como para o mercado consumidor e sociedade”, frisa. “Em 2024 já teremos o diesel verde como realidade. É um futuro bem próximo para o setor”, conclui. 

Tecnologia para o presente

O biogás gerado a partir da cana-de-açúcar, que um dia foi tendência, hoje é realidade no setor da bioenergia. Este cenário foi antecipado pela Fenasucro & Agrocana na edição de 2019. 

Passado este período, o Brasil tem hoje 5 usinas autorizadas pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) a produzirem esse subproduto e a tendência é de crescimento, mas ainda é preciso considerar a criação de novas usinas geradoras de biogás para suprir a demanda esperada.   

Isso porque o setor entende que é preciso uma grande articulação para suprir a crescente demanda por energia elétrica, como explica o especialista em energia e Gerente Comercial OnPower Geradores, Fernando Lemos. “Nos últimos 5 anos tivemos um crescimento fantástico e podemos crescer muito mais nos próximos 5 anos diante do potencial instalado. Estamos falando de energia limpa, renovável e descentralizada, que é produzida a partir de um subproduto farto”, afirma. 

Atualmente, 71% do biogás é aproveitado para a geração de eletricidade, sendo que a produção está em 2,3 bilhões de Nmᶟ. Até 2027, a previsão é que o número chegue a 10,8 bilhões de Nmᶟ. 

A indústria da cana-de-açúcar deve protagonizar esse cenário pois, segundo estimativa da ANP, o setor sucroenergético tem o maior potencial para geração de energia elétrica (57,6%). Depois, vem a geração por meio da proteína animal (38,2%) e na sequência, a produção agrícola (18,2%). 

A gerente Executiva da Associação Brasileira do Biogás (ABiogás), Tamar Roitman, compreende que a tecnologia é uma realidade consolidada, com 811 plantas instaladas no país, mas é preciso ir além. “O setor poderia produzir 50% a mais usando a mesma fonte de energia sem plantar um hectare a mais de cana. Cada vez mais a indústria busca soluções, e vemos que hoje a bioeletricidade é o que garante uma boa parte das receitas dessas empresas”, declara. 

Tamar lembra ainda que em um ano de dificuldades na obtenção de fertilizantes, as usinas poderiam aproveitar esse subproduto. “A dependência de fertilizante externo é constante. O agro precisa desse insumo sendo que poderíamos produzi-lo aqui aproveitando nutrientes fartos na indústria de cana-de-açúcar”, pondera. 

Programação de sexta-feira

Nesta sexta-feira, 19/08, último dia de feira, CEISE BR e Fenasucro & Agrocana destacam a importância de escalar processos fermentativos para teste de novos produtos no contexto da biotecnologia. 

E às 14h, ocorre o tradicional evento LIDE Mulheres, com a moderação da diretora do grupo Viralcool, Claudia Toniello, que aborda a presença feminina no mercado de trabalho. Integram a mesa, a Presidente da Sociedade Rural Brasileira, Teresa Vendramini; a promotora de Justiça e Fundadora do Instituto Justiça de Saia, Gabriela Manssur; e o Presidente do Lide Ribeirão, Fábio Fernandes.  

FENASUCRO & AGROCANA

A Fenasucro & Agrocana (Feira Internacional da Bioenergia) acontece até o dia 19 de agosto de 2022, no Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho (SP). O evento, realizado pelo CEISE Br e promovido e organizado pela RX Brasil, é o único da América Latina a reunir inovações e conteúdo de alto nível técnico voltados à toda cadeia de produção da indústria de bioenergia, além de profissionais das indústrias de alimentos e bebidas, papel e celulose, transporte e logística e distribuidoras e comercializadoras de energia.  

Sobre a RX

A RX constrói negócios para indivíduos, comunidades e organizações. Usamos o poder dos eventos presenciais, combinando dados e produtos digitais para conectar pessoas oferecendo experiências e oportunidades de negócios por meio de mais de 400 eventos realizados em 22 países e 43 diferentes setores da economia.    É apaixonada por causar impactos positivos na sociedade e está comprometida em criar um ambiente de trabalho inclusivo para todos. A RX faz parte da RELX, um provedor global de análises baseadas em informações e ferramentas de decisão para profissionais e clientes corporativos.

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Pular para o conteúdo