FALECE AOS 65 ANOS, O JORNALISTA FRANCISCO CAVALCANTI

FALECE AOS 65 ANOS, O JORNALISTA FRANCISCO CAVALCANTI

O POPULAR XIKO DO JORNAL, DEIXOU SUA MARCA REGISTRADA NA CIDADE PELO PROFISSIONALISMO E HUMILDADE.

No último sábado, dia 29 de janeiro de 2022, faleceu o diretor e proprietário do Jornal A Tribuna Regional de Cravinhos, o Sr. Francisco José Cavalcanti da Silva, popular Xiko do Jornal.

Era natural de Cravinhos/SP, nascido em 19/05/1956. Filho do casal Jorge Gomes da Silva (in memorian) e Expedita Cavalcanti Limeira da Silva (in memorian), tinha sete irmãos: Heloísa, Matilde, Emilson, Ana Maria, Jorge Luis, Hamilton (in memorian), Maria Helena (in memorian).

Desde muito jovem foi dedicado ao trabalho e aos estudos, passando por algumas empresas em Cravinhos, e até investindo em seu próprio negócio. 

Sua história no jornalismo teve início em 1974, quando integrou o grupo de jovens da JUC (Juventude Unida Cravinhense), elaborando o primeiro jornal, com uma tiragem de 100 exemplares.

No ano de 1979, tornou-se editor/proprietário do “Jornal de Cravinhos”, onde permaneceu durante cinco anos. Em 08 de novembro de 1984, abriu seu próprio jornal que começaria a chamar “A Tribuna Regional”, que já está na marca de 1.748 edições circulando em Cravinhos e região.

Dentre as dezenas de edições especiais que publicou, também estão as revistas históricas que conta a história da cidade, lançadas nos anos de 1999, 2003 e 2004.

Por muitos anos contribuiu voluntariamente no Serviço de Alto Falantes de Cravinhos, período em que a praça tinha maior frequência. 

Foi locutor/produtor do programa “Manhã Total”, na rádio Canal Livre FM. Anos depois, inaugurou a “Rádio Tribuna FM”, que finalizou suas atividades e voltou com sua programação através da Rádio Tribuna Web.

Para aquecer o movimento cultural de Cravinhos, também promoveu o “Festival Cravinhense da Canção”, “Festival Cravinhense Sertanejo”, “Quem sabe faz o show!”, “Concurso Miss Cravinhos”, “Concurso de Beleza Gatinhas & Gatões”, “Camiseta Molhada” e “Garota Estudantil”, entre outras gincanas e eventos culturais que envolviam as escolas e muitos outros.

Também promoveu o concurso “Você é o Repórter”, para incentivar a escrita e leitura de estudantes, e o concurso de fotografia “As imagens de Cravinhos pelas lentes fotográficas”, para estimular fotógrafos profissionais e amadores a registrarem seu olhar em diversos pontos da cidade. 

Passadas décadas de lutas e desafios, onde enfrentou altos e baixos, o “Xiko do Jornal”, foi uma figura conhecida e respeitada pelos munícipes de Cravinhos e região.

Foi um grande conhecedor e participante das decisões políticas da cidade, inclusive fundando o partido PSDB no município cravinhense.

Constituiu uma família com Maria Helena Bionês Cavalcanti da Silva, teve três filhos: Lilian, que se formou em Nutrição; Kátia, formada em Economia e; Leandro, formado em Jornalismo.

No ano de 2014, deu o maior passo de sua carreira profissional. Inaugurou a sede própria do Jornal A Tribuna Regional, localizada na rua Cristiano Barreto, 327 – Centro – Cravinhos/SP, e deu início ao novo projeto: o “GRUPO ATR”, constituído pelo “Jornal A Tribuna Regional”, com mais de 37 anos contando a história da cidade e da região; a “Revista L’Chain – Um Brinde a Vida”; a “Agência Impacto Propaganda e Marketing”; e a rádio Tribuna Web.

Por decisão da Comissão Organizadora da 6ª edição da Feira do Livro de Cravinhos, no ano de 2016, foi Patrono Feira recebendo uma homenagem pelos serviços prestados à Educação e Cultura da cidade.

Vale ressaltar, que em todo este período, sempre contou com apoio dos familiares, amigos e parceiros, que em muito contribuíram para o seu sucesso e a concretização dos seus sonhos. Além de ter sua vida constituída junto à história da cidade de Cravinhos, a qual sempre amou de coração. 

A LUTA PELA VIDA

No dia 21 de novembro de 2017, após participar de uma exposição no Memorial Casa Libaneza – Espaço Cultural de Cravinhos, onde estava sendo lançada a exposição do artista Tony Watanabe, o jornalista Francisco Cavalcanti chegou em sua residência, sentou em sua cama, e sofreu um AVC Hemorrágico. Na primeira vez, atingiu o lado esquerdo do cérebro e tempos depois, teve outro do lado direito. Foram oito cirurgias e dezenas de internações. Passou por uma cirurgia para introduzir um cateter que estava conectada a uma válvula, para drenar uma hidrocefalia, que é excesso de líquido no crânio, que apareceu em decorrência do AVC.

Foram 4 anos e 2 meses tendo todos os cuidados de seus familiares, em especial de sua esposa e seus três filhos, que diariamente cuidavam das suas necessidades higiênicas, alimentação, seja oral ou por sonda, controle de medicamentos, entre outros cuidados que um paciente acamado deve ter.

Parentes e amigos sempre se fizeram presentes. Profissionais da saúde do município e do hospital São Francisco também fizeram acompanhamento semanalmente. Médicos, enfermeiros e motoristas das ambulâncias sempre prestaram um atendimento rápido, com muita competência e humanismo.

Na noite do último sábado, em decorrência do agravamento das sequelas deixadas pelo AVC, Francisco veio a óbito quando estava internado no Hospital São Francisco. Foi velado no domingo (30/01), no velório municipal “Lourival Amoroso”, e enterrado no Cemitério de Cravinhos.

A missa de sétimo dia acontece hoje, dia 5 de fevereiro, na Paróquia Matriz São José, localizada na Av. Rita Cândida Nogueira, nº 503 – Centro – Cravinhos, às 19:00 horas.

AGRADECIMENTO

“Nossa família agradece imensamente toda a equipe da Santa Casa de Cravinhos, Pronto Socorro, médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, e todos os funcionários, ao SAMU, equipe da Vie Instituto de Reabilitação, à equipe da Ambulância, Assistência Social, todos profissionais da Saúde, à Prefeitura e Câmara Municipal, equipe do Judiciário, Advogados, Funcionários do Fórum, Juízes, colegas Jornalistas, enfim, a todos que sempre estiveram prontos a nos atender, e não mediram esforços para nos acolher.

Não citaremos nomes pois tivemos uma rede de apoio muito grande ao longo desses quatro anos, tendo amigos, familiares e vizinhos sempre colaborando, não queremos ser injustos e correr o risco de esquecer de alguém. Todos sempre estiveram dispostos em ajudar, e fizeram direta ou indiretamente, através de ações e orações.

Também não poderíamos deixar de agradecer toda equipe do Velório Municipal, que nos deram todo apoio e conforto na hora da despedida.

Deixamos registrado aqui o nosso carinho por todos vocês, que mesmo não tendo seus nomes citados, sabem que estamos fazendo este agradecimento de coração aberto, vocês são especiais e podem sempre contar com a gente.”

Maria Helena, filhos e família.

Da Redação

Fotos: arquivo pessoal

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.