Cravinhos lança a campanha de combate ao abuso sexual em crianças e adolescentes

Cravinhos lança a campanha de combate ao abuso sexual em crianças e adolescentes

O evento reuniu diversas autoridades municipais, conselheiros tutelares, assistentes sociais e representantes da sociedade civil.

O Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA), em parceria com a Prefeitura de Cravinhos e a Secretaria de Assistência Social, realizou um evento na manhã de sexta-feira (03/05), para o lançamento da campanha “Faça Bonito 2024 – Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, que ainda conta com o apoio do Conselho Tutelar.

O evento que aconteceu no Centro Cultural “Chafi Miguel Salomão” reuniu diversas autoridades municipais, conselheiros tutelares, assistentes sociais e representantes da sociedade civil.

“Parabenizar o trabalho que vem sendo feito pelo CMDCA de Cravinhos, bem como as equipes de Assistência Social e todos que estão empenhados na conscientização e combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes”, diz o vice-prefeito de Cravinhos, Márcio Barroso.

O evento ainda teve a palestra da conselheira tutelar, Leila Thomazzi, que mostrou números de atendimentos do Conselho Tutelar de Cravinhos durante as campanhas anteriores.

“Sempre quando a campanha de combate ao abuso e exploração sexual é lançada existe um aumento de denúncias, uma vez que as crianças e adolescentes que estão sofrendo com isso são estimuladas a procurar ajuda”, ressalta Leila Thomazzi.

Uma das grandes parceiras para detectar possíveis abusos são os profissionais da Educação, por isso mesmo a secretária Márcia Fernandes Donato se colocou à disposição para cada vez mais orientar professores e funcionários para ficarem atentos a mudanças de comportamentos dos estudantes.

“Trabalhamos incansavelmente para que possamos prevenir qualquer tipo de abuso. Por isso mesmo gosto sempre de pedir aos profissionais da Educação para falarem sobre o tema, porque assim as crianças podem se sentir envolvidas e acolhidas, e caso estejam sofrendo algum abuso irão falar aos seus professores”, comenta a secretária da Educação.

A presidente do Fundo Social de Solidariedade e primeira-dama de Cravinhos, Dulcinéa Bueno, também fez questão de deixar suas impressões sobre a campanha.

“Temos uma rede de atendimento bem articulada e isso facilita muito quando existem casos de denúncia de abuso sexual de crianças e adolescentes. Por isso a campanha é de suma importância, inclusive para que todos saibam que a denúncia pode ser feita pelo Disque 100 e totalmente anônima”, comenta Dulcinéa.

O Dia Nacional de Combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes acontece em 18 de maio, mas em Cravinhos a decisão é que o ano inteiro seja de atenção e combate, mas com intensificação nos meses de maio, junho e julho.

“Não somente em um dia, mas em todo o ano a equipe está trabalhando para combater o abuso sexual de crianças e adolescentes. Mas quando chegam os meses de maio, junho e julho intensificamos essa campanha. É preciso garantir a todos jovens o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual”, conclui o presidente do CMDCA de Cravinhos, Leandro Maurício.

Entre as ações que já se iniciaram e vão até o mês de julho estão: distribuição de folders em toda a cidade alertando sobre o combate ao abuso sexual de crianças e adolescentes e como denunciar; distribuição de banners em todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade; e circulação da peça teatral “O diário dela”, nas escolas da rede municipal de ensino. Também acontecerão durante os meses da campanha, concursos de desenho e posterior premiação e exposição itinerante dos trabalhos.

O Disque 100 é um serviço gratuito que funciona 24h nos sete dias da semana para receber denúncias de violência contra crianças e adolescentes. Ou ainda o denunciante poderá procurar o Conselho Tutelar ou a Polícia.

Definição da data

Em 18 de maio é o “Dia Nacional de Combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes”. A data foi escolhida, porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A proposta do dia 18 de Maio é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar do combate ao abuso sexual de crianças e adolescentes.

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Pular para o conteúdo