Cravinhense relata a batalha que travou para realizar o sonho de ser mãe

Cravinhense relata a batalha que travou para realizar o sonho de ser mãe

Juliana enfrentou vários desafios mantendo a fé em Deus de que um dia concretizaria seu sonho de ser mãe.

De acordo com o dicionário, um dos termos atribuídos a mãe é: mulher que deu à luz. Mas para muitas mulheres, para dar à luz a um filho, este significado foi muito além e, a essa palavra tão pequena foram acrescentadas definições como: fé, persistência, determinação, sonho realizado!

Juliana Cristina da Silva Lima, 40 anos, vivenciou essas definições na jornada que passou para ter sua filha. As primeiras linhas da sua história começaram a serem escritas quando ela estava com 32 anos e conheceu seu esposo, Edson Eduardo dos Santos, 40 anos. Desde o início, Juliana deixou claro o quando desejava ser mãe. “Comecei a namorar o Edson com 32 anos e logo no começo do relacionamento deixei claro que queria muito ter filhos e perguntei se ele estava disposto, pois ele já tinha uma filha de outro casamento. De pronto ele aceitou e fiquei feliz com sua resposta. O que eu não sabia era o quanto seria difícil termos um filho”, contou.

O casal deu início a uma longa caminhada cheia de obstáculos e contratempos para alcançar a realização desse sonho. “Começamos a tentar engravidar, passou 1 mês e nada. Nesse período comecei a sentir umas dores no útero e percebi que tinha algo errado. Resolvi ir ao médico, que rapidamente me pediu ultrassom e para minha surpresa descobri que estava com miomas uterinos, sendo 4 maiores e vários pequenos que estavam evitando que eu pudesse ser mãe”.

Diante dessa notícia inesperada, Juliana começou a buscar por orientação médica, já que devido ao local e tamanho dos miomas não era indicado cirurgia. “Comecei ir ao médico em busca de um tratamento, fui em vários. Lembro-me que o primeiro me falou que não tinha jeito e que eu deveria fazer uma cirurgia para retirar o útero. Fiquei arrasada, chorei muito, pois naquele momento vi que meu sonho estava acabado”. Mesmo assim, o casal buscou uma nova avaliação médica, mas receberam o mesmo diagnóstico de que não havia o que fazer.

Com tantos prognósticos negativos, Juliana e Edson viveram momentos de muita tristeza, mas decidiram permanecer confiantes pedindo a Deus por ajuda. Até que o terceiro médico deu um direcionamento ao casal. “Quando fomos ao terceiro médico levei os exames, ele olhou e falou: ‘vou te dar um conselho não como médico, mas sim como pai’, disse pra eu marcar uma consulta em Cravinhos com o objetivo de conseguir um encaminhamento para o Hospital das Clínicas, em Ribeirão Preto, e fazer dar continuidade ao meu caso por lá. Assim eu fiz”.

Depois desse passo, Juliana travou uma batalha contra o tempo, pois sua idade estava passando e ela tinha até os 38 anos para ser chamada pelo HC. “Depois que consegui o encaminhamento, tinha um tempo determinado para que eu fosse chamada pelo HC, que era até meus 38 anos. Eu esperei aflita, com muito medo, já que os dias, os meses, os anos estavam passando e nada de me chamarem”, falou.

Angustiada com tanta demora, Juliana decidiu agir e procurar por um novo médico, mas para sua decepção, mais uma vez recebeu notícias ruins. “Procurei um outro médico, ele me pediu outra ultrassom e para meu espanto, meu útero estava todo alastrado… Os miomas tinham aumentado e estavam por toda parte”. No intuito de tomar alguma atitude Juliana partiu para uma ação mais agressiva, para tentar estabilizar sua situação. “Decidimos entrar com um tratamento muito forte para tentar diminuir os miomas maiores e os menores desaparecerem”.

Para seguir em frente, enfrentando os percalços desse novo caminho e assim ter a esperança renovada, Juliana precisava desembolsar o valor de R$ 9.000,00. “Para fazer este tratamento eu precisava tomar 3 injeções, de 3 em 3 meses. Mas como eu iria comprar esse medicamento? O procedimento completo ia ficar em torno de 9 mil reais e eu não tinha esse valor”.

Confiantes, o casal foi surpreendido pela generosidade do próximo. “Mais uma vez Deus esteve comigo. Ganhei uma injeção da empresa onde eu trabalhava através de uma vaquinha dos funcionários. A segunda dose ganhei do SUS e a última eu comprei. Mas para minha decepção, o resultado do procedimento foi negativo e eu não tive nenhuma melhora”, falou Juliana.

Já desanimada, completamente triste e desacreditada do sonho de ser mãe, a última opção de Juliana, enquanto aguardava ser chamada pelo HC, era fazer a temida cirurgia no útero. “Após mais um tratamento sem resultado meu médico decidiu fazer a cirurgia para tentar tirar os miomas, mas o risco era grande de perder o útero no procedimento… mas como Deus estava ao meu lado, minha cirurgia foi um sucesso. O cirurgião tirou todos os miomas que evitava a gravidez. Minha felicidade voltou e ali eu percebi que meu sonho não tinha acabado, ele estava se erguendo de novo”.

Juliana e Edson viveram várias situações de altos e baixos. Após esperar cerca de 2 anos para o útero se recuperar, o tempo estava passando e nada do HC chamá-la. “Já havia passado 5 anos e nada de bebê, já não tinha esperança de mais nada, já estava cansada de lutar, tudo já não tinha mais sentido. Eu estava chegando no limite e minha idade já não estava ajudando, mas para minha alegria, faltando 2 semanas para eu completar 38 anos, Deus me deu uma nova esperança e enfim o HC me chamou para eu fazer o tão sonhado tratamento para a inseminação. Meu coração se encheu de alegria e falei vou conseguir ser mãe agora”.

Surpreendida novamente

Após a longa espera, Juliana e o esposo foram na primeira consulta e os médicos deixaram claro que eles faziam o tratamento, mas a medicação o casal teria que pagar. “Já na primeira consulta fomos informados de que teríamos que pagar os gastos com a medicação, que ficaria entre R$ 5.000 e R$ 8.000 reais. Levei um susto, pois estava desempregada e fiquei pensando onde eu iria arrumar esse dinheiro”.

Juliana já havia determinado que dinheiro não iria impedi-la de realizar seu tão almejado sonho de ser mãe. Até que um dia teve uma ideia e mais uma vez contou com a ajuda do próximo para colocar em prática. “Um dia eu estava deitada pensando no que poderia fazer para conseguir esse dinheiro, rapidamente veio no meu pensamento a ideia de vender brigadeiros nas ruas e nas redes sociais. Muitas pessoas me ajudaram, uma me fez uma doação de 1000, outras 2 fizeram uma rifa de 1.000 cada, mais 3 pessoas conseguiram vender 1.500 reais de brigadeiro e eu consegui vender para amigos e parentes caixinhas de brigadeiros totalizando o valor de 8.000 reais em exatos 3 meses”.

Milagres acontecem

Para sua felicidade e daqueles que acompanharam de perto toda a trajetória de Juliana, ela conseguiu fazer o tratamento e no final, Juliana recebeu a maior surpresa de toda sua vida. “Para a glória de Deus terminei todos os procedimentos em dezembro de 2022 e marquei para transferir os embriões em abril de 2023. Porém, para minha grata e infinita surpresa, no dia 23 de março eu descobri que estava grávida, eu havia engravidado naturalmente e já estava de 2 meses. Naquele momento eu vi como Deus foi maravilhoso, pois Ele me mostrou que Ele realizaria o meu sonho, não as mãos do homem. Para mim foi um milagre. Deus me ensinou que nunca devemos desistir e deixar de ter fé, que tudo é possível se confiarmos no Senhor. Depois de tudo o que passei, minha palavra para todos aqueles que estão em busca da realização de um sonho é: descansa seu coração no senhor e Ele fará seu sonho se realizar. É só ter fé”.

Primeiro Dia das Mães

A pequena Ana Luiza veio ao mundo no dia 21 de setembro de 2023, e desde então Juliana é grata a Deus por estar vivendo seu sonho e ter a oportunidade de segurar a filha nos braços. “É uma sensação indescritível ter minha filha em meus braços. Ela é a razão da minha vida e seu sorriso me traz uma força que eu nem imaginava ter. Estou vivendo o maior amor que uma mulher pode sentir neste mundo e não poderia ser mais grata a Deus por tudo o que estou vivendo”, disse a mamãe.

Daqui alguns dias será comemorado o Dia das Mães, o primeiro de Juliana e para esse dia especial a mamãe já sabe como irá comemorar. “Meu 1° Dia da Mães será comemorado com muito amor e lágrimas de gratidão, pois estou vivendo uma felicidade inexplicável. Depois de tudo o que passei, a minha história ganhou o maior capítulo de todos e é a minha inspiração para lutar todos os dias por minha filha”, concluiu a mamãe Juliana.

Reportagem: Crislaine Messias

Conheça nossos Parceiros

Mais Notícias
Montôt lança estúdio conceito de arquitetura corporativa em Ribeirão Preto

Novo espaço inaugurado no Alto da Boa Vista oferece uma abordagem inovadora, transformando o showroom em um ambiente de trabalho e experimentação que integra experiência e funcionalidade. Com soluções utilitárias e parcerias estratégicas com marcas brasileiras como a Legg (mobiliários) e a Everlight (iluminação), estúdio revoluciona o conceito de design de interiores e arquitetura corporativa na cidade.

Pular para o conteúdo