BAR DO BETO VACA

Ao som de violas e pandeiros,

Eu, Beto Vaca, ergo a minha voz,

Por quase cinquenta anos companheiros,

No meu bar em Cravinhos, a sós.

Nelson Gonçalves, ícone do Brasil,

Canto agora tua história e glória,

Na música, tu voz eternizou-se, sutil,

Deixando rastros de amor e memória.

Teu canto embalou, em noites estreladas,

As rodas de amigos em meu humilde bar,

Suas canções, de emoção marcadas,

Fizeram corações se apaixonar.

Nelson, poeta das melodias,

Cantaste a dor e a alegria,

Teu legado, tão imortal e vibrante,

Inspira a nossa música a cada instante.

De Cravinhos, eu, Beto Vaca, celebro,

A tua arte, que nossa alma liberta,

Por quase cinquenta anos, te venero,

E em versos, eternizo tua voz aberta.

No Bar do Beto Vaca, celeiro de amizades,

Onde sorrisos e abraços se entrelaçam,

Em Cravinhos, eternas verdades,

Em cada copo, histórias se enlaçam.

Amigos de longa data, companheiros fiéis,

No balcão ao som de violas e canções,

Compartilham sonhos e anseios tão reais,

Em nossos corações, formam-se constelações.

A noite cai, e o Bar do Beto Vaca acolhe,

Nas rodas de conversa, risos e emoções,

Nas taças erguidas, amizades se envolvem,

Na comunhão de almas e sinceras paixões.

Amigos queridos, nesta poesia, os reverencio,

Por cada encontro, cada lágrima e risada,

Pois no Bar do Beto Vaca, o amor é o princípio,

E o abraço fraterno, nossa morada.

Aqui, a amizade é o bem mais precioso,

Que cultivamos com carinho e dedicação,

No Bar do Beto Vaca, um lugar glorioso,

Celebro a todos vocês, em meu coração.

Beto Vaca

Proprietário do peculiar "Bar do Beto Vaca", é uma figura icônica e lendária de Cravinhos com personalidade carismática. Beto compatilha suas experiências de vida, pensamentos e ótimas histórias.

Pular para o conteúdo