A GARÇA

A GARÇA

POESIA ACRÓSTICO Por: Waldemar Medeiros

Uma garça, alegre voa

Muito bem longe daqui

Ao pousar numa lagoa

Gostava de vim ali

Ao pisar na relva verde

Restou ali ser caçada

Como o que matar a sede

Ali ela foi capitada

Mas distraída não viu

O jacaré à espreita

Réptil, faminto, bravio

Recolhida, viva, perfeita

Existe na tentação

Um ser sábio, falso inimigo.

Devido a sua distração

Estava correndo perigo

Se ela com sede morreu

Esta foi a sina dela

De beber a água não deu

Estando só nadando nela.

Waldemar Medeiros

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.