A CHUVA

POESIA ACRÓSTICO Por: Waldemar Medeiros

O tempo estava de estiagem

Prejudicando a colheita

Ressecando as pastagens

Em que o verde a enfeita

Se aparece de repente

Em que algum sinal surgia

Nuvens negras no ocidente

Talvez tão logo choveria.

Em altas horas dormindo

De um sono da madrugada

Ao ouvir a chuva caindo

Mantendo a terra molhada

Ao acordar tão contente

Da chuva sem trovoadas

Recebendo como presente

Uma graça abençoada

Graças a Deus que alegria

A promessa foi consagrada

De tempos que não caia

A santa chuva tão esperada.

Waldemar Medeiros

COMENTÁRIOS

Os comentários não representam a opinião do nosso website. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Ajude-nos a melhorar nosso website

Nos informe sobre erros de digitação, informações ou problemas técnicos.