Cravinhos, 20 de Janeiro de 2018
ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
Notícia
Sabendo usar não vai faltar
10/08/2011

 Essa foi uma frase muito usada algum tempo atrás para convencer a pessoas a adotar comportamento ambiental correto ao lidar com os bens e serviços oferecidos pela natureza. Muitas pessoas que moram e trabalham na cidade nem sempre estão preocupados com essa questão, pois, andam de carro, divertem, assistem clipes, vai ao supermercado, cinema, barzinho, shopping etc. Enquanto há conforto as pessoas nem sempre param para pensar da onde que as coisas vieram e para onde que elas vão.

Talvez por esse motivo as cenas de desperdícios e ou mau uso dos bens e serviços da natureza continuam a fazer parte dos hábitos da sociedade, seja nas residências e nos locais públicos, nos escritórios, nas empresas, instituições, entre outros.

Da preparação da terra ao plantio passando pela colheita, transporte, distribuição, armazenamento, industrialização e consumo, as matérias-primas e alimentos ocupam os primeiros lugares entre os produtos desperdiçados.

Nas indústrias e nos serviços públicos o desperdício e o mau uso de bens também estão presentes.

Na construção civil e nas reformas de imóveis não é diferente. Prédios são destruídos para dar lugar a outro; materiais tais como pisos, portas, telhados, assim como fachadas são modificados ou substituídos, muitas vezes, por pura ostentação, vez que o imóvel poderia ser usado, por muito tempo, no estado em que se encontra ou, na melhor das hipóteses, com pequenas modificações.

A poluição e outros problemas causados pelos resíduos e rejeitos gerados nas atividades humanas, em quantidades e volumes desnecessários é uma das conseqüências negativas do desperdício. Esgotos produzidos nas casas e indústrias, por exemplo, continuam a poluir ribeirões, rios, lagos e aqüíferos. Várias cidades, por falta de planejamento e dinheiro têm dificuldades em destinar corretamente esses materiais. A solução é se convencer que o desperdício faz mal não somente para o bolso, mas também pode no curto prazo, provocar doenças e, no longo prazo, comprometer a vida da atual e das futuras gerações, ou seja, dos nossos filhos, netos, bisnetos e assim por diante. 

updown
Web by Parceria Online - 2011 - 2018 Todos os direitos reservados
Francisco José Cavalcanti da Silva - Diretor e Proprietário
Kátia Cavalcanti - Administrativo e Financeiro
Leandro Cavalcanti - Jornalista Responsável
Jamila Grecco - Jornalista
Fale Conosco: contato@atribunaregional.com.br
Endereço: Rua Cristiano Barreto, 327
CEP: 14140-000 - Cravinhos - SP
Telefone/Fax: (16) 3951.2228